Quem somos

O Ministério Reencontro surgiu como ideia, inicialmente, nos meses finais do ano de 2017. Surgiu de um sonho, de uma esperança, de uma inquietação em comum entre os membros fundadores. O desejo de não só anunciar o evangelho a quem ainda não teve a oportunidade de ter um encontro pessoal com Cristo. Nós sonhamos em cuidar das pessoas. De não só lhes pregar as boas novas de salvação, mas acompanhar seu crescimento espiritual, de firmá-los na fé, de ser seus tutores espirituais. De buscar um envolvimento mais intenso com suas famílias e poder acalentar o coração de cada um deles. Esse foi o nosso desejo, a visão que Deus fez arder em nossos corações.

O Ministério Reencontro é composto por um grupo de cristãos residente na cidade de Conceição do Coité-BA, cidade encarpada na Região Sisaleira, no sertão Nordestino Baiano. Conceição do Coité fica a 210 Km da Capital Salvador e tem um povo acolhedor, solidário e empreendedor. Somos um grupo de cristãos comprometidos com as verdades do Evangelho de Cristo e dispostos a doar nosso tempo e energias, sem qualquer retorno financeiro, para ajudar pessoas que precisam de orientação espiritual, educação cristã, apoio no aprendizado da bíblia e superação de necessidades básicas para uma vida digna e fraterna. Nosso trabalho é completamente voluntário, sem qualquer remuneração ou recebimento de quaisquer vantagens, seja privada ou pública. Seus membros fazem o trabalho com amor e completo desprendimento.

O Ministério Reencontro não recebe verbas públicas e as despesas decorrentes do seu funcionamento é custeada por seus membros e por ofertas completamente voluntárias de pessoas físicas ou jurídicas, bem como da venda de camisas, canecas, canetas, artesanatos e demais produtos congêneres com a logomarca do Ministério Reencontro. Estamos dispostos a fazer parcerias com igrejas, associações e ONG’s no sentido de realizar projetos sociais e de evangelismo, desde quanto não fira nossos princípios institucionais, sempre submetendo a aprovação do Ministério Reencontro.

Cremos

Cremos na existência de um só Deus, Pai, Filho e Espírito Santo, um em essência e Trino em pessoa. Na soberania de Deus na Criação, Revelação, Redenção e Juízo Final. Na inspiração divina, veracidade e integridade da Escritura. No Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus encarnado, plenamente Deus; ele nasceu da virgem; foi plenamente homem, mas sem pecado; ele morreu na cruz, e ressuscitou corporalmente dentre os mortos, e agora reina sobre a terra e o céu. No Espírito Santo que torna a obra de Cristo eficaz para os pecadores, levando-os a se voltarem de seus pecados para Deus e a confiar em Jesus Cristo, como Salvador. Na pecaminosidade universal e culpabilidade de todos os homens, desde a queda de Adão, colocando-os sob a ira e a condenação de Deus. Na redenção da culpa, pena, domínio e corrupção do pecado, somente por meio da morte expiatória do Senhor Jesus Cristo, o único mediador entre os pecadores e Deus. Em que aqueles que crêem em Cristo são perdoados de todos os seus pecados e aceitos por Deus somente por causa da justiça de Cristo imputada a eles, por ato da Graça de Deus. Na única Igreja, Santa e Universal, que é o Corpo de Cristo, à qual todos os cristãos verdadeiros pertencem e que na terra se manifesta nas congregações locais. Em que somente o Senhor Jesus Cristo voltará pessoalmente, como o juiz de todos, para executar a justa condenação de Deus sobre aqueles que não se arrependeram e receber os remidos na glória eterna.

Visão

O Ministério Reencontro, inicialmente, surgiu com o objetivo de formar uma banda de música cristã e utilizar essa ferramenta para evangelização. Entretanto, depois de alguns meses de conversas entre os membros fundadores, reflexão e oração decidimos por ampliar os objetivos e ferramentas e inserir outros instrumentos para alcançar nossos objetivos. A partir dessa visão ampliada dada por Deus, decidimos inserir, além da banda, o discipulado bíblico, trabalhos sociais, educação, palestras, artes e toda e quaisquer ferramentas dispostas a atingir de forma honesta e cristã nossos objetivos. Portanto, sob orientação de valores eminentemente cristãos, queremos alcançar pessoas que ainda não desfrutam de uma comunhão íntima com Deus e necessitam de conhecer o amor de Cristo, viver uma vida de fraternidade e desfrutar da comunhão com Cristo, repartindo com outras pessoas valores como esperança, amor e fraternidade.

Enfim, possibilitar as pessoas o conhecimento de uma vida próspera espiritualmente, tendo a convicção de existimos para a glória de Deus e para o servir ao outro, em amor. Para atingir esses objetivos, propomos um acompanhamento espiritual e individual de cada pessoa que demonstrar interesse pelo Texto Sagrado (Bíblia). De forma que conhecer a família, a realidade social, além de promover uma educação cristã pautada nos valores do evangelho de Cristo Jesus, será de extrema importância para o Ministério Reencontro.

Princípios

Click nas abas abaixo para obter maiores informaçãos!

A adoração, como diz John MacArthur em seu livro Adoração a Prioridade Suprema, é para a vida cristã o que a mola mestra é para um relógio, o que o motor é para um carro. A adoração tem seu lugar na intimidade do seu quarto, na sala no momento do jantar, no mais recôndito do seu coração, no culto na igreja. Adorar é tributar a Deus todo o louvor e a glória. Adorar não é receber, mas dar. É uma atitude de gratidão, de oferta. A adoração não pode ser relegada a um único lugar, tempo, ou segmento de nossa vida. Atos verdadeiros de adoração devem ser o transbordamento de uma vida em adoração contínua e duradoura. Adorar é honrar e cultuar a Deus. A adoração começa primeiro com a entrega de nós mesmos, e depois da entrega de nossos interesses, atitudes e posses. A vida resultante do louvor que borbulha e transborda é a expressão mais verdadeira de adoração. O louvor é a ebulição de um coração grato ao Criador.

Como leciona Rubem Amorese, comentando o livro A Igreja Autêntica do saudoso Pastor John Stott, “a adoração surge da gratidão. Diferentemente do medo ou do interesse, presentes no costume pagão, em que todos os atos se destinam a aplacar a ira da divindade ou dela obter alguma vantagem, a adoração em uma igreja viva provém de uma disposição do coração, que se harmoniza, afetuosamente, com o que Deus é e faz, "com cânticos e ações de graça". Dessa harmonia surgem as expressões de louvor; a moldar os ritos e as liturgias, em todas as suas cores”. Portanto, a adoração não pode se limitar apenas ao cultos congregacionais do domingo, com mãos levantadas à procura de alguma benção ofertada pelo Todo Poderoso. É verdade que Deus nos dá graciosamente seu favor em abundância, mas precisamos entender que adorar é, sobretudo e principalmente, uma entrega incondicional da nossa vida àquele que é digno de todo louvor, honra e glória.

Todo cristão deve estar apto a realizar o serviço no reino de Deus. Deus nos capacitou com dons, talentos e habilidades com o propósito de servir à sua causa, seja numa tarefa de levar as boas novas de salvação ao sedento da graça de Deus, seja no cuidado aos necessitados a superar os dramas da vida e os flagelos que a sociedade impõe a todo o ser vivente. Todo cristão que teve a oportunidade de passar pelo novo nascimento é vocacionado para realizar o serviço cristão, seja na evangelização, como descrito no evangelho de Marcos, capítulo 16, versículo 15, seja na missão de socorrer a quem necessita apoio material. Mas é preciso ter em mente alguns princípios ligados a essa nobre missão. Inicialmente a motivação em servir deve ser, exclusivamente, para a glória de Deus. Além disso, a motivação para servir deve partir de um desejo verdadeiro de ser útil a Deus e de ser servo do seu próximo.

Fora dessas motivações, podemos afirmar que o cristão ainda não conseguiu compreender de forma plena sua missão como servo. Não pode haver outra mesquinha motivação, sob pena de macular o serviço, por ausência total de uma compreensão do nosso chamado e da nossa missão, enquanto cristãos. O serviço é uma entrega à Deus e ao outro, em um desprendimento sincero e verdadeiro de coisas passageiras para valores perenes e duradouros. O nosso coração deve arder intensamente para o cuidado com as coisas do reino de Deus e o cuidado com o semelhante. A compreensão de um serviço cristão abnegado e desinteressado por recompensas materiais é fruto de uma vida perto do Criador e totalmente entregue a Cristo, mediante submissão irrestrita à vontade soberana de Deus e desprovida de paixões materiais e carnais. Que Deus nos capacite a compreender qual nossa importância na vida e como podemos ser úteis ao reino de Deus, sobretudo no cuidado do nosso próximo. Que Deus nos faça entender quão finitos nós somos e como nossa ganância e vaidade colocam um tapume nos nossos olhos e impede de enxergarmos àquele que, mesmo estando do nosso lado, muitas vezes nos está invisível, em face da nossa insensibilidade e individualismo.

Deus nos criou para uma vida de comunhão com ele, primeiramente. O paraíso descrito em gênesis era o paraíso por causa da presença gloriosa de Deus. Quando Deus está presente na nossa vida, ela se torna suportável e de gozo neste mundo. Mas Deus percebeu que não era bom ao homem viver só. Deus criou um outro ser humano. Criou um para o outro. Haveria de existir cumplicidade, vida em comum, compartilhamento, comunhão. Deus percebeu que o homem não se satisfaria apenas com suas posses e a beleza do paraíso. Por isso que Deus criou uma companheira à Adão. A partir do momento que o homem rompeu o relacionamento com o Criador, comprometeu também o seu relacionamento com o outro, quer dizer, repercutiu na comunhão, no relacionamento com o outro. Deus não veio apenas organizar nossa vida individualmente, mas ajustar relacionamentos.

Nós, enquanto igreja de Cristo, somos uma comunhão de pecadores alcançados pela graça de Deus. Comunhão é vida compartilhada do povo de Deus com o seu Deus e como o seu povo. Comunhão de verdade é necessariamente comunhão na verdade. Não pode haver amor, cumplicidade sem as verdades do evangelho. São as verdades do evangelho que nos une em torno de Cristo Jesus. Se a Igreja é a família de Deus seus membros devem parecer com Deus. Deus é luz. Espera-se que seus filhos vivam na luz. Cada um de nós, membros do corpo de Cristo, temos que ter evidência de que somos filhos da luz, filhos do mesmo pai. Deve haver semelhança entre o pai e o filho. Fazer parte da família de Deus não é só privilégio; é também responsabilidade. Espera que o povo de Deus demonstre santidade nos relacionamentos, no casamento, na mordomia cristã, nos negócios, nas festas e comemorações. Como nós nos tratamos mostra se de fato somos ou não filhos de Deus. Deus deu a vida para que cada um cuide do próximo, cuidem uns dos outros. Amor não é sentimento, nem opção. Não é, nem pode ser. Amor é decisão, é atitude. Deus nos deu a vida em Cristo para que amemos uns aos outros.

Mesmo uma leitura superficial e passageira do novo testamento mostrará que longe de ser uma caminhada individualista e solitária, a vida cristã é intensamente comunitária e voltada para o amor mútuo. Portanto o que nos impede de vivermos essa comunhão? Será o orgulho, o preconceito, o medo, a ansiedade? São esses sentimentos que vão sufocar nossa vida com Deus e por consequência com o próximo? Um bom termômetro de nossa vida espiritual é o quanto nos envolvemos ou não com os outros. A saúde do relacionamento com Deus (eixo vertical) dirá com será a saúde com o nosso próximo (eixo horizontal).

Nossas ações

Em meio a essa pandemia, mobilizamos uma campanha com pessoas generosas e comprometidas com a saúde e bem estar do próximo. Com esse ato, tivemos sucesso e conseguimos angarianhar fundos financeiros e de mão de obra voluntária para fazermos máscaras faciais de tecido, visando ao combate do covid-19.

Foram distribuídas aproximadamente 3000 máscaras faciais na sede e na zona rural no município de Conceição do Coité-Ba.

Abaixo seguem algumas imagens de líderes comunitários que receberam uma quantidade expressiva de máscaras para serem distruídas em suas comunidades, feitas com a doação em dinheiro que recebemos ao longo de dias de pessoas solidárias e comprometidas com o próximo como descrito acima.

Cestas básicas

O MINISTÉRIO REENCONTRO, ao longo de quase 1 ano de funcionamento, tem realizado várias ações sociais pelo município de Conceição do Coité. Todas as atividades que desenvolvemos são inteiramente gratuitas. Nada é cobrado de absolutamente ninguém, bem como todo trabalho é feito por voluntariado. Nenhuma remuneração é dada aos voluntários em nenhuma hipótese.

Ampliando nossas ações sociais, resolvemos também encampar um movimento para arrecadação de insumos e consequentemente aquisição e distribuição de alimentos a diversas famílias de baixa renda e que necessitavam de mantimentos para alimentar à sua prole. Foram contempladas dezenas de famílias que receberam cestas básicas, fruto da doação de diversas pessoas, sob a coordenação do Ministério Reencontro.

News

Notícias recentes

No sábado da nossa inauguração, tivemos uma palestra com ilustríssimo Pastor Davi Neiva, com o o tema:

Investir para não perder!

Vídeos